Como resolver sua dívida de Empréstimo Consignado
16493
post-template-default,single,single-post,postid-16493,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Como resolver sua dívida de empréstimo consignado através da Compra de Dívida

Compra de Dívida 1

Muitas pessoas acabam caindo no superendividamento, mas há soluções para isso. Você tem a possibilidade de “vender” um empréstimo consignado para algum banco.

 É a chamada compra de dívida ou recompra!

 Ela é possível por meio de instituições que tem portabilidade de crédito.

 E  é  feito  justamente  isso: assim  como  quando  é  preciso  mudar de telefonia e você realiza uma “portabilidade”,  o mesmo ocorre quando transfere a dívida de um banco para outro.

 Mas como isso ocorre?

 Um banco quita o saldo devedor da pessoa que tomou o empréstimo de alguma outra instituição financeira. Desse modo, passa a ser o novo credor da dívida.

 Tem-se, portanto, duas entidades:

  •  O banco de origem: local aonde a dívida foi feita, e que tenham sido quitadas ao menos algumas parcelas pelo cliente. É o órgão aonde se origina o empréstimo da portabilidade.
  • O banco de destino: local aonde será feito pagamento do empréstimo, este em nome do cliente, que irá levar a dívida com ele e quitá-la. É o órgão de destino do empréstimo da portabilidade.

 

REGRAS DA COMPRA DE DÍVIDA

Compra de Dívida 2

Na Compra de Dívida, são levadas em conta algumas regras para o refinanciamento:

1. Considera-se os valores já descontados na folha de pagamento

 Na transação de compra de dívidas, são levados em conta valores de parcelas que já foram descontadas na folha de pagamento.

 Desse modo a pessoa deve pedir o boleto do saldo em débito ao banco que fez o empréstimo para que possa ser realizada a quitação antecipada pelo novo banco credor.

2. O banco paga a dívida e abre novo crédito

 Este novo banco pagará a dívida do devedor de outra instituição financeira e abre ao interessado pelo crédito um novo contrato para empréstimo.

 Esse novo contrato será de acordo com prazos e juros da atual instituição.

 3. O valor liberado corresponde à diferença entre os dois empréstimos

 O valor liberado para o tomador do empréstimo corresponde à diferença entre os dois empréstimos: o atual e o antigo. Desse modo é possível diminuir a quantidade de parcelas descontadas em folha.

 4. Quanto menos parcelas amortizadas, maior o valor creditado

 Lembre-se que quanto menos parcelas já amortizadas você tiver em seu pagamento mensal, seja no soldo, contracheque, pensão ou aposentadoria, maior o valor creditado para você.

REQUISITOS PARA A COMPRA DE DÍVIDA

 Para conseguir acesso à compra de dívidas, o endividado deve ter alguns pré-requisitos:

 – Ter obtido um empréstimo consignado (parcelas descontadas em folha de pagamento);

 – Ser aposentado, pensionista ou funcionário público;

 – É direcionada a Servidores Municipais ou dos Estados, Servidores Federais, Militares das Forças Armadas do Exército, Aeronáutica e Marinha, os quais devem possuir margem para consignar.

A operação é indicada para:

– Pessoas que querem reduzir valor de parcelas, obtendo descontos e se valendo de juros mais baixos de outras instituições;

– Pessoas que necessitam de dinheiro e não tem margem para consignação a qual, atualmente, limita para 35% da sua renda, aonde 5% é para uso de dívidas em cartão de crédito.

NÃO CONFUNDA COMPRA DE DÍVIDA COM “Refin”

 O Refin nada mais é que o refinanciamento.

 Apesar de ser semelhante a portabilidade, ocorre dentro do mesmo banco.

 Neste caso haverá o prolongamento do prazo de parcelamento. Com o aumento do prazo um valor de “troco” é aberto ao cliente, tornando possível que ele renegocie a taxa de juros, apesar de em muitos casos as opções não valerem tão a pena assim.

 Portanto é preciso pesquisar bem o que vale mais a pena!

Gostou? Então, cadastre-se em nosso blog para receber gratuitamente conteúdos e atualizações.

 Deixe seu comentário e compartilhe! 

simonegoncalves
contato@simonegoncalves.com.br

Comentários