7 Passos importantes para Você sair do Superendividamento
16886
post-template-default,single,single-post,postid-16886,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

7 PASSOS PARA VOCÊ SAIR DO SUPERENDIVIDAMENTO

1e

O superendividamento dos brasileiros está crescendo cada vez mais, mas a partir de que momento você é considerado um superendividado?

O superendividado é aquela pessoa que tem dívidas de valores superiores a 30% do que ela recebe por mês, ou seja, o seu rendimento mensal é inferior ao conjunto de suas dívidas vencidas ou a vencer, situação esta que traz prejuízo grave para o sustento próprio ou da família.

As conseqüências para o superendividado são diversas, pois não se limitam apenas a esfera financeira, repercutindo também no emocional, familiar e até no físico do devedor.

No entanto, por mais difícil que pareça sua situação, é possível organizar sua vida financeira mesmo com diversas dívidas!

Você deve estar cansado dessa situação, não é? Então, está na hora de reconhecer o problema e ter atitude.

7 PASSOS PARA SAIR DO SUPERENDIVIDAMENTO

#PASSO 1: Listagem de todas as Dívidas

Para começar seu processo de equilíbrio e organização financeira, faça uma lista enumerando cada dívida, da mais cara para a mais barata, ou seja, compare as taxas de juros de cada uma e veja quais delas crescem mais rapidamente.

É importante executar esse procedimento para que você tenha visão clara do seu superendividamento, e a partir daí definir as prioridades.

#PASSO 2: Listagem das Despesas Fixas Mensais

Liste detalhadamente todas as suas despesas, como por exemplo, aluguel, condomínio, água, luz, alimentação, transporte, TV a cabo, telefone fixo, plano pós-pago de celular, saídas noturnas, cinema, passeios, etc., pois assim você terá apurado o peso das dívidas sobre sua receita líquida.

No caso de famílias, é importante que todos os envolvidos entrem na fase da economia e para quem é solteiro ou divorciado, vale avisar aos melhores amigos, para não cair na tentação de gastar o que não tem ou não pode!

Após, já de conhecimento de seu orçamento mensal, reserve o que sobrou para começar a quitar suas dívidas.

#PASSO 3: Definição das Dívidas Prioritárias (por ordem dos juros mais altos)

Com disciplina, você conseguirá quitar todas as suas dívidas, porém você não entrou nesta situação da noite pro dia, portanto, tenha paciência para sair dela!

Você deve estar consciente de que terá que empregar todo esforço possível para deixar de ser um superendividado. É difícil, mas é possível, tem que persistir.

Assim, identifique quais dívidas aumentam consideravelmente mês a mês, como as do cheque especial, cartão de crédito e financiamentos.

#PASSO 4: Renegociação das Dívidas

Aqui, será preciso você entrar em contato com os credores, obedecendo a ordem das dívidas prioritárias que você criou no passo 3.

Mas antes de fazer o contato, é indicado que você prepare uma proposta para oferecer ao seu credor, dentro do seu atual limite financeiro.

Não tente fazer acordos com vários credores ao mesmo tempo, a não ser que suas economias permitam que você consiga quitar as dívidas à vista, ou as parcelas caibam no seu orçamento atual.

No entanto, esteja ciente de que as instituições não são obrigadas a aceitar a renegociação!

#DICA 5: Cancele o Cheque Especial e o Cartão de Crédito e Resgate Cheques sem Fundos

Esta medida é muito eficaz para evitar que suas dívidas aumentem sem parar em razão do aumento progressivo do saldo devedor. Vejamos:

Cheque Especial – embora a maioria das pessoas não veja assim, o cheque especial é um empréstimo de juros altíssimos, além de serem cobrados outros encargos pelo uso do crédito. Saiba que ninguém é obrigado a manter o cheque especial, mesmo se tiver em dívida com o banco, pois as instituições financeiras são obrigadas a efetuar o cancelamento independente das pendências, já que possuem ferramentas cabíveis para cobrar o valor devido. Assim, você poderá pedir para que o limite do cheque especial seja cancelado a qualquer momento. Converse com seu gerente!

Cartão de Crédito – mesmo que você tenha uma dívida alta no seu cartão é seu direito solicitar o cancelamento quando quiser, porém isso não significa que você está perdoado da dívida adquirida. Essa medida é apenas para que a sua dívida pare de crescer, além de impedir de fazer novas compras. Assim, para cancelar um cartão de crédito com dívidas você deve entrar em contato com o banco ou instituição de crédito, através de um meio que registre sua solicitação de cancelamento, por exemplo, email, carta AR, etc. Desse modo, ao cancelar seu cartão de crédito, o montante da dívida para de crescer já que os juros altíssimos cobrados pelo crédito rotativo não podem mais ser cobrados, portanto, a partir do cancelamento somente os juros de mora, de 1% ao mês, podem incidir.

Cheques – procure as lojas para as quais emitiu seus cheques e resgate-os. Assim, com os cheques em mãos, você deverá levá-los à respectiva instituição financeira para que esta proceda a baixa da negativação no Cadastro de Emissores de Cheques sem Fundos – CCF, no prazo de 5 dias úteis. Qualquer pessoa pode saber se está incluída no CCF, basta se dirigir a unidade do Banco Central na sua cidade, apresentando seu RG e CPF. As instituições financeiras também podem prestar a informação, sendo proibida a cobrança de qualquer tarifa por esta pesquisa. Em caso de contas tituladas por pessoa jurídica, será incluído no cadastro do CCF o nome desta e o número do CNPJ.

#DICA 6: Honrar os Pagamentos das Renegociações

Para que as renegociações sejam bem sucedidas, você precisa estudar muito bem a sua situação antes de oferecer uma proposta de renegociação ao seu credor, evitando assim, ter que recorrer a mais um empréstimo.

Caso você tenha conseguido ajuda financeira de parentes para quitar alguma dívida, honre essa dívida com muito afinco, assim você mostrará que apreciou a ajuda recebida e terá portas abertas para o caso de precisar recorrer novamente, porém não faça disso um hábito!

#DICA 7: Cultivar Bons Hábitos

Após sua reestrutura financeira, evite ao máximo fazer novas dívidas, realize somente compras se puder fazer os pagamentos à vista. Você terá que aprender a “dizer não” para pedidos familiares e também para você mesmo. Com a prática, se torna cada vez más fácil!

Juntar dinheiro ao invés de comprar parcelado é um hábito que trará a você liberdade financeira, pois além de não ter novas dívidas, comprando à vista é possível conseguir ótimos descontos.

São pequenas mudanças em sua rotina que irão resultar em uma grande economia no final do mês.

Use a tecnologia seu favor! Existem vários aplicativos de celular que podem ajudar você no controle diário e mensal. Caso não tenha muita intimidade com aplicativos, você poderá cria uma planilha simples no Excel. Assim você terá visibilidade do quanto seus esforços econômicos estão valendo a pena!

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – IEDC, desenvolveu uma planilha para ajudar no orçamento doméstico. Saiba mais aqui

ATENÇÃO!

Sua dívida não caduca depois de 5 anos!

É necessário você ter a clareza de que depois de um determinado tempo com dívidas em atraso, as empresas que possuem valores a receber enviam para as associações de proteção ao crédito e cartórios protestos em nome daqueles que estão devendo.

As restrições inseridas nesses órgãos de proteção ao crédito só podem manter o registro do devedor por 5 anos, porém não há o perdão dessas dívidas, uma vez que  o débito apenas é retirada dos sistemas!

Como vimos, a principal causa do superendividamento é gastar mais do que ganha, mas com algumas atitudes, você poderá equilibrar seu orçamento.

Dessa forma, se você seguir os passos sugeridos neste artigo, é perfeitamente possível quitar suas dívidas e sair do superendividamento, voltando a dormir com tranquilidade com a vida financeira equilibrada.

Gostou? Então, cadastre-se em nosso blog para receber gratuitamente conteúdos e atualizações.

Deixe seu comentário e compartilhe o artigo nas suas redes sociais!

simonegoncalves
contato@simonegoncalves.com.br

Comentários